Quando diagnosticado no início o melanoma pode ter até 99% de taxa de sobrevida

Maio, Mês de combate ao melanoma

Maio foi escolhido para ser o Mês Internacional de Combate ao Melanoma, um tipo raro de câncer de pele e uma das formas mais agressivas e fatais das neoplasias da pele devido à sua alta possibilidade de provocar metástase. Por isso, é fundamental conhecer os fatores de risco e as formas de diagnóstico. 

Confira os fatores de risco, como fazer o diagnóstico e as indicações de tratamento:

Fatores de risco: entre os principais fatores de risco estão a exposição prolongada e repetida ao sol, realização excessiva de bronzeamento artificial, ter pele e olhos claros, com cabelos ruivos ou loiros, ou ser albino. Outro fator é ter história familiar, cerca de 10% dos casos são hereditários, ou se a pessoa já teve câncer de pele.

Diagnóstico precoce: o diagnóstico normalmente é feito pelo dermatologista, pelo exame clínico. Também pode ser necessário que o especialista utilize a dermatoscopia, exame no qual se usa um aparelho que permite visualizar algumas camadas da pele não vistas a olho nu. Alguns casos exigem uma biópsia e testes genéticos.

Tratamento individualizado: a cirurgia é o tratamento mais indicado para os pacientes com melanoma. A radioterapia e a quimioterapia também podem ser indicadas, dependendo do estágio da doença. Quando ocorre a metástase, o melanoma pode ser tratado com novos medicamentos ou radioterapia. Esses novos medicamentos, são os imunoterápicos que foram introduzidos nos últimos anos para o tratamento dessas doenças.

Escreva sua resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + 12 =

Mês internacional de combate ao melanoma
Você sabe como se proteger contra o melanoma?
Saiba Mais
Setembro Dourado
Câncer infantojuvenil pode ter até 80% de cura
Saiba Mais
Facebook - Setembro Verde
Fique atento aos sinais do câncer de intestino
Saiba Mais

Receba novidades